Presidente do Banco Central Europeu: “Não seria nossa atribuição proibir ou regulamentar Bitcoin”

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou que o Bitcoin não é abrangido pelos poderes regulatórios do BCE. A declaração foi feita em resposta a uma pergunta da Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu.

 

“Não seria nossa atribuição proibir ou regulamentar Bitcoin” – Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu

Mario Draghi teria feito o comunicado na sequência de uma pergunta do Comitê de Assuntos Econômicos e Monetários do Parlamento Europeu sobre se o BCE planeja ou não desenvolver um aparelho regulatório relativo ao Bitcoin e quais os riscos que as criptomoedas podem representar para a economia européia.

De acordo com uma tradução do Google de uma história publicada por Eunews.it, Draghi afirmou que depois de considerar “a magnitude, a aceitação do usuário e o impacto na economia real [da Bitcoin] … seria muito prematuro considerá-lo como um instrumento de pagamento para a futuro”. O presidente do BCE afirmou que o BCE “ainda não teve uma discussão” sobre o tema, acrescentando que “Não seria nossa atribuição proibir ou regulamentar Bitcoin”. Draghi também expressou a intenção do BCE de avaliar os riscos cibernéticos associados ao Bitcoin e às criptomoedas em geral.

 

As declarações de Draghi ecoam aquelas feitas em relação à tecnologia Blockchain durante um evento no Trinity College em Dublin

Durante um evento do Diálogo Jovem no Trinity College em Dublin, o presidente do BCE respondeu uma pergunta sobre se “as novas tecnologias, especificamente o blockchain, têm um papel na política monetária no futuro”. Draghi respondeu: “nós no BCE estamos investigando isso, e agora estamos observando isso há algum tempo. Uma conclusão é que, neste momento, a tecnologia ainda não está madura [o suficiente] para ser considerada na formulação de políticas do banco central ou no sistema de pagamentos. Temos que ver o progresso que esta tecnologia irá fazer no futuro “.

Em ambos os eventos, o presidente do BCE enfatizou o desejo do Banco Central Europeu de avaliar os riscos cibernéticos associados às novas tecnologias. No Trinity College de Dublin, Draghi descreveu o “risco cibernético como o problema dominante”. Ele acrescentou que “qualquer inovação, como blockchain, será rastreada a partir do [ponto de vista] de quanto nossa exposição ao risco cibernético vai subir quando abraçamos uma nova tecnologia “.

O presidente do BCE rejeitou recentemente os planos da Estônia de lançar uma criptomoeda nacional respaldada pelo Estado, afirmando que, de acordo com a legislação da UE, “nenhum Estado membro pode introduzir sua própria moeda. A moeda da eurozona é o euro. “No início desta semana, o vice-presidente do BCE, Vitor Constancio, comparou o Bitcoin com a “Tulipmania” que varreu a Holanda durante o século XVII. Constancio também descartou a sugestão de que o Bitcoin representa uma ameaça para o setor financeiro da Europa, afirmando que o bitcoin “certamente não é uma moeda e não a consideramos uma ameaça para a política do Banco Central”.

 

Fonte: Samuel Haig – news.bitcoin.com

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *